sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Ecologia e conforto sob o mesmo teto

Hoje a dica é mais arquitetônica, mas vale saber que se pode construir sem a preocupação de impacto ambiental.


Construções que respeitam o meio ambiente não abrem mão de luxo e bom gosto.
Uma casa verde não é sinônimo de moradia primitiva, sem energia elétrica ou água quente. A idéia das construções ecologicamente corretas é manter todo o conforto da vida moderna, reduzindo o impacto ambiental.

Há uma longa distância entre a casa ecológica e a 100% sustentável: enquanto na segunda há o aproveitamento total de água e energia solar, a ecológica se restringe a usar tijolos e madeira cujos processos de produção não atacam a natureza, além de um aquecedor solar de água. Júlio Stocco Neto, arquiteto que trabalha com esse tipo de empreendimento no Brasil há cinco anos, explica que a grande vantagem do projeto é o aumento da qualidade de vida. A estrutura favorece ambientes bem arejados e agradáveis, com boa penetração da iluminação solar. Além disso, a durabilidade dos materiais usados possibilita economia a longo prazo.


"Tijolos de barro que secam ao sol – e não nos fornos –, pilares feitos de eucalipto e paredes com madeira plástica ou reflorestada custam um pouco mais. Entretanto, eles ganham dos materiais tradicionais em durabilidade”, explica o arquiteto.

A publicitária paulista Paula Bertollo, de 52 anos, construiu sua casa nos moldes ecológicos e confirma os benefícios do investimento: “Minha casa é inteira de tijolos ecológicos e madeira reflorestada, além de possuir um aquecedor natural para o chuveiro. Gastei 40% a mais do que se fosse construir nos moldes tradicionais, mas moro nela há oito anos e a estrutura está impecável. Nada precisou ser reformado”.
Alguns links sobre o arquiteto citado acima:


2 comentários:

Fatima Gomes disse...

Muito legal, gostei muito da inovação e do conceito bem moderno.

Adriana Medeiros disse...

Obrigada Fátima!!!!!